Home Sobre Anuncie Contato

Entrevista: Bruna Tavares do Pausa Para Feminices

postado por Minha Vida de Cão


Hoje a entrevista é com nossa sereia maravilhosa Bruna Tavares. Gente, não tem como não admirar esta mulher. Ela é uma menina simples, batalhadora, que conquistou tudo o que tem sozinha. Acho difícil alguém não a conhecer, pois, além de blogueira e youtuber, ela é empresária e jornalista. Tem uma linha de maquiagens baphônicas, em parceria com a Tblogs/Tracta. Lá no comecinho do blog falei com ela para um entrevista aqui e ela foi de uma simplicidade sem igual, e isso é muito raro, porque ela já era super conhecida e influente. "Você só conhece uma pessoa pelo modo como ela te trata quando não precisa de você." Essa frase faz muito sentido pra mim, sou muito grata à ela.

Vamos a entrevista:

Qual sua profissão?
Eu sou jornalista, me formei em 2008 e criei o blog em 2009 justamente para criar um portfólio de jornalismo de moda, porque eu não tinha feito nenhum estágio, nada na área, e eu queria trabalhar com jornalismo de moda, o de beleza eu ainda não conhecia, amava maquiagem, mas não existia. O jornalismo de beleza que existia era aquele da Boa Forma, Corpo a Corpo, uma coisa ligada mais a fitness, a bem estar, digamos assim. E ai eu criei o blog. De fato com o blog eu consegui avançar muito a minha carreira de jornalista, eu consegui virar editora de beleza na editora Abril, trabalhei na Gloss, trabalhei na Nova que agora é Cosmopolitan. Eu estava muito bem na minha área como jornalista, porém tive que decidir entre o blog e a redação, porque eu não estava dando conta mais, eu saía às cinco da manhã de casa e chegava oito da noite, porque eu moro em Campinas e trabalhava em São Paulo, pegava fretado... O blog estava crescendo, eu já tinha minha primeira coleção de maquiagem, mesmo assim eu insisti ainda na redação, porque eu achava que aquele era o meu futuro. Eu não via futuro no digital, assim, independente de um nome importante, de uma revista importante. Aí a minha própria chefe deu uma força para mim, eu continuei como freelance, até hoje eu estou linkada à editora Abril. No caso eu estou na Caras, que é um braço da editora Abril, mas eu nunca desvinculei totalmente, é uma coisa que me dá segurança, e eu acho importante para mim como jornalista, assim como eu nunca desvinculei do conteúdo, que é o meu forte, é o que eu gosto de fazer.

Qual seu maior sonho realizado e o que ainda deseja realizar?
Meu maior sonho realizado foi poder ter prosperado em algo que eu desenvolvi, então eu prosperei no Pausa Para Feminices. Não era um plano que eu tinha, eu tinha outro plano de carreira na minha vida, mas o Pausa aconteceu eu me dediquei a ele, não esperava que ele fosse virar minha profissão e ai aconteceu tudo que aconteceu. Eu encontrei sucesso em uma coisa que eu desenvolvi. Eu acho que isso é mais importante, eu me sinto realizada nesse sentido, não era meu planejamento inicial de vida, mas é muito bom, ajuda muito na auto estima ver que eu consegui ser bem sucedida em algo que eu me dediquei e que eu planejei. Tem muitas coisas que eu quero, que eu quero realmente, hoje, dentro do que eu tenho eu quero que minha marca vá para os Estados Unidos sabe, eu quero consolidar minha marca, eu quero que ela se torne uma marca independente. Mesmo assim, a gente já é independente da Tracta, mas ainda existem algumas coisas que eu dependo muito de lojista por exemplo, eu tenho uma marca muito de varejo, o que é legal, era o que eu queria, mas eu queria uma marca mais de nicho de beleza, sabe? Entrar na Sephora, ter uma gôndola lá, grande, para poder desenvolver mais cores de bases, cores de corretivo, cores de batons, enfim, ter um espaço grande que as pessoas reconheçam a minha marca. Eu ainda passo muito desdenho, coisas que eu nem falo para os leitores, mas acontece muito de eu mandar para um maquiador e... esses dias mesmo eu mandei para um maquiador e vi que ele não postou, aí eu encontrei ele pessoalmente, eu falei: então você recebeu? Ai ele me desprezou tanto, que eu pensei assim: poxa, porque né, só porque minha marca não vende na Sephora, ou porque minha marca, sei lá. Muitas pessoas tão usando, e mesmo assim a gente passa uns perrengues desnecessários, entendeu? Eu quero me consolidar, não para agradar essas pessoas, porque essas pessoas vão muito por marca, por grife, acho meio tosco isso. Mas eu acho que é importante me consolidar, eu acho que eu mereço isso, e eu tenho trabalhado bastante por isso, então eu quero ser consolidada, respeitada, tudo que a gente quer, ser respeitada, ter o nosso trabalho.
O que sonhava em ser quando criança?
Quando eu era criança eu sempre sonhei em fazer teatro, sempre quis ser atriz de teatro. Não por ser famosa, tanto que eu fujo um pouco dessa coisa da fama. Eu sempre quis fazer teatro musical. Quando eu fui fazer faculdade de jornalismo eu ia fazer artes cênicas, eu só não fiz artes cênicas que tinha na Unicamp, tem na Unicamp acredito, porque era período integral e eu não podia, tinha que trabalhar e estudar, então acabei optando pelo jornalismo meio que em cima da hora, como segunda opção, para poder trabalhar. Aí eu pensei: bom, faço jornalismo, durante a faculdade eu me aprimoro em tudo que for cultural, e realmente eu fiz oito cursos durante a faculdade de jornalismo, linkado a documentário, cinema, essa parte cultural mesmo. Toda vez que eu podia escolher o tema do trabalho, era sempre cultural, e eu me formei pronta para trabalhar como jornalista cultural, crítica de cinema, crítica de documentário, enfim... só que não tinha espaço, é um jornalismo muito escasso no Brasil. Eu lembro até que na época eu lia uma revista chamada Bravo, que é uma revista extinta da editora Abril, que era focada em jornalismo cultural, e ela foi fechada, assim, durante a faculdade teve várias coisas que acabaram, eu lembro que o meu sonho era trabalhar também no programa do Selton Mello, que se chamava Tarja Preta, que é um programa que falava sobre cinema tipo B, tipo Zé do Caixão, umas coisas bem trash assim, mas um cinema trash da hora do Brasil. E eu falava, gente eu quero trabalhar no Canal Brasil, quero fazer isso, eu quero ficar na produção de um programa como esse, vou ser estagiária do Selton Mello. Objetivo de uma garota de dezessete anos, e aí o programa também acabou no meio da faculdade, então eu acabei tomando um tiro de realidade. E por isso que, quando eu me formei, eu vi que não tinha espaço no jornalismo cultural para mim, não tinha nem onde eu procurar emprego, porque eu tentei, eu pesquisei, era muito panelinha ainda, os poucos jornalistas que tinham na área eram jornalistas que tinham uma bagagem muito grande, ou atores que viraram críticos, era uma coisa muito fechada. Ai eu falei: vou trabalhar com moda justamente porque a moda eu acho que era a coisa mais próxima à cultura que tinha né, e o jornalismo de moda estava em ascensão, com os blogs e tal, eu descobri os blogs de moda, o It Girls e tudo mais. E ai pensei em moda justamente por causa disso. E eu sempre fui uma jornalista de moda que contextualizava, eu fazia uma matéria sobre militarismo, eu pesquisava de onde que veio, eu fazia uma matéria sobre minimalismo eu pesquisava, e sempre tentava fazer matérias completas, fazia para o Modices que era para o portal de moda do UOL, onde eu comecei. Então fazia umas matérias completíssimas, assim, contextualizando a cultura daquela época, de onde começou surgir aquela moda, porque, de onde veio, para onde vai, com os dias de hoje, porque esse movimento tava rolando. Eu sempre contextualizava assim, porque moda é muita cultura, é muita, muita cultura mesmo. Nos desfiles mesmo, quando eu fazia cobertura para o Fashion Week eu sempre buscava a raiz, eu falava com o estilista, de onde você veio, de onde você tirou isso? Ai ele falava: ah tal lugar, mas  esse tipo de tecido é da onde, sabe? Eu buscava sempre a raiz cultural, e era muito legal porque os estilistas amavam dar entrevista, toda vez que eu ia entrevistar eles curtiam sabe, porque eu ia para um lugar não comum. E foi muito gostoso, muito trabalhoso, mas muito gostoso.

OBS: O programa Tarja Preta começou em 2004 e acabou em 2009, foram quatro temporadas.

Um medo e um desejo para o futuro?
O meu medo é, eu tenho muito medo dessa carreira da internet assim, cada dia eu tenho mais medo na realidade, não só da estabilidade, mas hoje em dia tá rolando um movimento muito tenso na internet. Eu estou há oito anos na internet, a gente faz coisas boas todos os dias aí de repente um deslize que a gente dá, e é possível, porque a gente não é perfeito, aí um deslize acaba com uma carreira. Eu estou vendo isso muito forte sabe, esses movimentos de destruir carreira, tá muito pesado isso na internet. Então eu morro de medo sabe, de eu ter essa lupa em cima de mim, então eu morro de medo de falar qualquer coisa fora do lugar, eu sei porque eu já passei por polêmica,  por responder comentários, aí as pessoas printam, jogam em grupo sabe, tiram do contexto. Então qualquer vírgula que eu fale hoje pode ser tirado do contexto e pode virar uma coisa contra mim. Então assim, é uma insegurança tremenda que eu vivo assim, esse é meu maior medo sabe, é ser pega despreparada em uma pergunta, despreparada em uma situação, e que as pessoas  interpretem errado, e que aquilo desqualifique tudo aquilo que eu fiz até hoje. A internet me dá medo. Agora o meu desejo para o futuro é depender cada vez menos da internet, eu quero muito que minha marca se consolide, que eu use a internet como vitrine, e que eu use as influências também como vitrine. Eu quero comprar publi com as meninas sabe, elas já falam dos meus produtos de graça, mas eu quero poder utilizar a internet a meu favor, e não depender delas tanto como eu dependo hoje. Porque eu acho assustador, apesar que eu tenho um público muito fofo, muito querido, mas o meu público em si não é o problema, entendeu, o problema são as pessoas que chegam de fora. Porque o público mesmo, ele não faz esse tipo de haters, de shade, quem faz é quem tá fora, pegou mais ou menos a história, e aí cria-se uma polêmica muito grande em cima, é um pouco assustador isso que está acontecendo hoje na internet.

Qual item de maquiagem mais caro que você tem?
Item de maquiagem mais caro que eu tenho, ahhh... nossa eu não sei (risos). Eu acho que hoje deve ser uma paleta da Fenty Beauty que eu comprei pela internet, e eu fui taxada, então foi super cara, aquela paleta nova dela, ficou muito cara essa paleta. Não só por causa do preço, mas por ser em dólar, pelo frete internacional e pela taxa, mas não pelo produto em si. Mas acho que foi a última coisa que eu falei: caraca, gastei viu!

Na sua bolsa tem?
Olha, na minha bolsa tem um pouco de tudo. Tem um monte de remédio, que eu sou meio hipocondríaca (risos), eu morro de medo de ter dor fora de casa, então eu saio com todos os remédios possíveis. Eu tenho a minha carteira com os meus cartões, de crédito e tudo mais, tenho bastante batom na minha bolsa, muitos... eu sempre saio com batom, aí eu levo para retocar e nunca retoco, gente do céu, eu nunca retoco batom... não sei porque eu levo. Aí eu vou colocando, cada vez tem um, se eu for olhar agora tem uns dez que sempre vai acumulando, e aí eu não acho esses batons depois na minha penteadeira, eu abro um novo, é um ciclo vicioso isso. Basicamente é isso, chave de casa. Eu não levo muita maquiagem, quando eu saio para ficar fora, um evento, aí eu levo geralmente uma paleta de pele com iluminador, bronzer, e um blush para poder retocar, mas eu nunca retoco também, eu não sei porque eu levo assim (risos), mas eu nunca retoco nada.

Você sabe quantos batons tem lançados?
Olha, esses dias eu fiz essas contas. Na linha Bruna Tavares a gente tem hoje 32 batons, que é certinho, isso eu sei. Agora no PPF entre TBlogs e Sereismo eu acho que... ou é 100, ou mais de 100, mas eu não sei, por aí, tem bastante. Então vamos somar aí uns 150 batons lançados.

Se pudesse escolher somente um batom para usar o resto da vida, qual seria?
Ai difícil né? Um só? Bom, vou escolher um de cada marca, tá? De Tblogs seria o Bela, tem o líquido e o bala, eu acho que eu escolheria o líquido para poder usar também na pálpebra e no rosto, talvez como blush. Ele é um batom que se eu estou sem maquiagem nenhuma eu passo ele, que já fico com uma cara saudável. E apesar do Hermione ser minha paixão, eu não conseguiria usar ele tão sozinho, eu sempre gosto de estar maquiada. Já o Bela eu consigo ficar bela só com ele, e o Siren também, ai meu Deus do céu, é que o Siren é a mesma coisa do Bela, é um batom que me deixa bonita e me deixa com cara saudável sem precisar de uma super maquiagem. Mas eu vou destacar o Bela que é o mais favorito mesmo de Tblogs. Agora de linha Bruna Tavares se eu tivesse que escolher um, eu acho que seria... o Bruna né (risos)? O Bruna, o vermelhão, apesar que assim, eu amo o Bruna é um vermelhão mas não é o que eu usaria mais no dia a dia. Assim, hoje, da linha Bruna Tavares, o que eu mais uso... é... nossa, estou tentando pensar qual que eu mais uso. Eu uso muito o Luisa, que é um marronzinho assim, o Jessi eu uso bastante, ai complicada essa pergunta.

Seu maior orgulho é?
Meu maior orgulho é poder ajudar minha família. Hoje é proporcionar tudo para minha família, é faculdade para o meu irmão, é moradia dos meus pais, a moradia da minha família, meu marido e minha filha. É poder retribuir tudo para eles, é poder cuidar da minha família, eu sempre quis cuidar da minha família financeiramente, psicologicamente eu já cuido mesmo. Agora financeiramente eu consigo cuidar de todo mundo, e com o meu trabalho sabe, então isso é muito importante, especial para mim.

Quando você olha para trás o que você vê?
Quando eu olho para trás eu vejo que eu dei muita sorte, assim, eu fui muito protegida. Porque eu tive vários momentos que eu pude escolher a coisa errada e eu escolhi a coisa certa. Eu vejo o quanto é importante seguir a intuição, porque em vários momentos eu tinha duas decisões para tomar e eu sempre fui tomando a decisão certa. Eu sempre fui seguindo a intuição, e eu segui muito a minha intuição, porque vários momentos a minha família mesmo, meu marido falava, não Bruna vai para o certo. Se eu fosse sempre indo para o certo eu não estaria onde estou, então, eu vejo o quanto é importante eu continuar seguindo a minha intuição e acredito em mim, mesmo diante de um monte de diversidade, porque eu olho para trás e vejo tudo que eu passei, e que eu passo ainda. Constantemente eu sou lembrada ainda disso, você não é ninguém queridinha, acorda. Então, como eu te falei, o negocio do maquiador lá (risos), o que é bom também porque me deixa com o pé no chão, e me dá combustível para crescer mais, entendeu? Eu nunca fico alienada com relação ao que eu estou vivendo, porque eu estou sempre levando um tapão na cara mesmo. Mas eu acho que esses tapões na cara são proteções mesmo. Não que as pessoas que estejam fazendo isso, estão fazendo certo, porque elas vão encontrar o delas também. Mas eu acho que para mim serve como proteção, para eu não me deslumbrar e para que eu me mantenha firme no meu objetivo sabe, para que eu não acomode.

Você tem alguma blogueira inspiração? Se sim, quem?
Ah, eu tenho várias blogueiras inspiração, assim, mas a Victoria Ceridono é uma que eu sempre cito, porque ela é jornalista também, e ela me inspirou muito no começo, principalmente no começo que eu não sabia em quem me espelhar, então ela me inspirou muito. Ela e a Ale Garattoni, a Ale do It Girls e ela (Victoria) do Dia de Beauté, porque eu via nelas as blogueiras-jornalistas entendeu? Então eu pensei, eu posso ser blogueira e posso ser jornalista foda que nem elas. Não cheguei nesse nível (risos), não consegui chegar nesse nível de Victoria Ceridono, mas ela vai ser sempre uma inspiração para mim. E eu amo também seguir a Camila Coelho, que é uma menina que a gente trabalhou juntas, trabalhamos dois anos juntas, eu vi o crescimento dela, a forma que ela direcionou a carreira dela, como ela esta bombando lá fora, que é um puta objetivo para mim, assim uma carreira internacional, e eu acompanho muito o que ela faz, e eu acho que ela é maravilhosa sabe, ela conseguiu conduzir a carreira dela de uma forma espetacular.

Como se vê daqui 10 anos?
Daqui dez anos eu espero.... ai meu Deus estar jovem ainda (risos), eu espero estar com uma carreira consolidada, carreira internacional, eu pretendo morar fora do Brasil, espero estar morando fora do Brasil. Já morando fora do Brasil não, porque assim sempre vou morar no Brasil e Estados Unidos. Mas espero já estar estabilizada lá com carreira e com alguns outros negócios. Eu não quero ficar só em maquiagem, já conversei com minha família sobre isso, para a gente utilizar o investimento para fazer outros negócios, em outras áreas. Então eu espero me consolidar com isso e poder consolidar minha família com isso, meu irmão que tá se formando, eu quero muito que ele tenha um negócio dele. Enfim, eu quero consolidar isso, e me consolidar também, então é isso. Daqui a dez anos eu espero poder estar administrando uma empresa, a minha própria empresa. É, tem muitas coisas que eu gostaria que acontecessem, mas o que eu quero é que eu fique consolidada como marca, e a minha família também bem, e tudo mais. Família é mais importante para mim de tudo.

Quer ter mais filhos?
Eu quero muito ter mais filhos, só que eu tive muitos problemas na gravidez. Foi muito difícil para mim a gravidez, eu tive probleminha de saúde, até hoje eu carrego aqueles problemas, então engravidar para mim é uma coisa fora de cogitação. Eu já estou vendo o processo de adoção, a gente já vai fazer algumas entrevistas. Porque primeiro tem que passar pelo processo de entrevistas para você ficar apto, eu tava vendo esses dias isso até. Você fica apto para adoção para depois poder adotar. E aí eu não sei como que eu vou adotar, eu não sei se eu vou em orfanato ou se eu espero a ligação. Porque assim, eu não vou ficar fazendo exigência sabe, de nada entendeu. Eu acho que se for para ser meu filho, vai ser meu filho, eu queria que fosse um menino, só isso que eu vou pedir eu acho, porque é o primeiro. Mas eu quero adotar mais, eu quero ter uma família muito grande assim, eu fico até emocionada quando eu falo isso, porque eu quero muito ter uma família grande sabe? Eu quero ser aquela vozinha com um monte de neto, com um monte de filhos, e adotar eu vou conseguir fazer isso né, porque engravidar mesmo eu não vou conseguir, por uma questão de saúde. Agora adotar vai ser incrível.

Você é uma das blogueiras mais influentes e queridas do Brasil. Como faz para ter os pés no chão e ser tão humilde? Você nunca se deslumbrou?
Obrigada pelo blogueiras influentes do Brasil, que bom que você vê assim (risos), fico feliz. É aquilo que eu te falei, eu tomo muito tapa na cara, já fui muito humilhada na minha vida, e eu continuo sendo, de formas diferentes mais eu ainda sinto que não conquistei. As vezes eu vou em uns eventos, principalmente evento da society, aí eu percebo o quanto que eu sou um caquinho de nada. Porque esse público eu ainda não ganhei um respeito, uma influencia entendeu? E é isso aí, isso é importante porque você coloca o pezinho no chão, eu acho que isso é um tipo de proteção. No começo eu achava que ai, eu nunca vou ser respeitada, porque as pessoas sempre vão me ver como uma garotinha do interior, jeca, eu sou jeca mesmo entendeu? E é bom isso no final das contas, porque me mantém com o pé no chão, me mantém focada, sem deslumbrar. Eu não me deslumbro comigo mesma, eu me mantenho focada no meu conteúdo. Quando as pessoas me elogiam, elas estão elogiando o que eu faço, não a minha pessoa. Eu sempre penso assim: a pessoa chega pra mim e a "eu amo o seu batom", pô é o batom que eu desenvolvi, não é eu. Elas chegam e ah "você é muito linda" e tal, tem pessoas que transferem isso para mim, mas no geral elas estão elogiando o meu trabalho, elas estão elogiando o que eu faço, então não sou eu, é o que eu faço. Então eu tenho que continuar produzindo, continuar fazendo porque é isso que é interessante sobre mim. Então eu acho que isso me mantém focada sabe? Não trazer para mim o ego, não trazer para mim a vaidade. Eu tenho que ter auto estima, e tem momentos que eu não tenho porque a gente é uma loucura, a gente vive em uma loucura, altos e baixos. Mas num geral eu penso que as pessoas gostam do que eu faço, então vou continuar fazendo, vou continuar produzindo, porque é isso que eu sei fazer, é isso que eu tenho de melhor, então, bora lá!

Já ficou triste com algum comentário no Instagram? Como lida com os haters?
A gente sempre fica um pouco triste com comentários ruins, assim, não tem como. Eu sou suscetível a isso. Algumas coisas são muito bobas, tipo, quando as pessoas falam assim: "ah sua gorda", "sua feia", o que é raro, hoje em dia não tem essa coisa bobinha. Eu não me magoo, porque é tão bobo, aí gente sério. Isso não me magoa. Agora quando a pessoa tira conclusões sobre mim... há pouco tempo eu passei por uma polêmica, que foi a polêmica das bags do Mario, não sei se você acompanhou isso. E ai nossa, as pessoas tiravam conclusões sobre mim assim, especulando sabe. Aí chegou muita coisa ruim pra mim, ai eu fiquei chocada, porque eu não esperava. Algumas pessoas tem a visão totalmente distorcida da situação e elas concluem coisas sobre você, que não tem nada haver com nada. E elas falam com uma certeza e com uma raiva, aí você fala: porque que essa pessoa tem tanta raiva de mim, é assustador, isso é assustador. Mas num geral eu o fico tranquila, o que eu fico chateada, mas nem é chateada, por mim eu fico chateada na questão da empatia mesmo. Quando alguém tem algum problema com compra, algum problema com produto, eu fico super chateada. Eu falo: putz, a pessoa comprou o produto e está tendo um problema né? Mas eu sempre tento ajudar o máximo que eu posso assim. Eu fico triste pela situação, mas eu sempre me coloco no lugar da cliente, eu sei como é comprar um produto e você se frustrar. Principalmente com a cor: comprei achando que ia ficar tal cor e ficou diferente. É uma frustração eterna isso da cor, por isso eu incentivo tanto as hashtags. Mas mesmo assim as pessoas compram achando que vai ficar exatamente da cor exatamente que fica em mim, ou que fica em fulana, beltrana sendo que a gente sabe que varia. Mas eu sei que é frustrante porque eu passo muito por isso também. Eu compro muito batom online gringo, então eu consigo me colocar no lugar, eu explico, eu ajudo, eu sempre busco formas com a Claudia Guillen que trabalha comigo. A gente tá buscando formas lá no Instagram de apresentar os produtos de forma diferente. Que nem agora, a gente vai fazer uma coletânea de fotos que a Claudia esta fazendo, que ela é maravilhosa, ela faz tudo também para ajudar, mostrando as diferentes aplicações do batom. Tipo, se você aplica uma camada fina, se você aplica duas camadas, se você aplica por cima de corretivo. Como varia a cor, para as pessoas se elucidarem cada vez mais sobre isso. Então é isso que eu faço, eu pego as dúvidas, as críticas, mesmo as críticas mais pesadas, eu entendo que a pessoa está incomodada, porque não gostou, faz parte. Aí eu tento transformar em mais conteúdo para deixar a compra da pessoa mais lúcida possível, dentro do Instagram do Linha, que é o que eu consigo fazer. É o que me deixa triste, mas ao mesmo tempo é o que me conduz aí para melhorar e me conduz para produzir conteúdo mais direcionado. O que eu fico triste mesmo de ficar sem entender, é quando as pessoas julgam, concluem coisas que não tem nada a ver, isso me magoa bastante, a gente fica com vontade de sair da internet. Porque eu passei pela polêmica, aí eu virei para minha mãe e disse: "mãe não quero mais trabalhar". Queria largar tudo, juro, deu um pane em mim. Deu pane mesmo, de ser internada, porque as pessoas não acompanharam isso porque eu não fico divulgando. Mas eu fui internada, eu fiquei doente mesmo. Eu tenho síndrome do pânico, então para mim foi um puta de um gatilho. Foi punk, então por isso que eu vivo com esse medo agora, de polêmica sabe. Mas né, as vezes acontece!

Tem alguma marca que ainda sonha em trabalhar, qual?
Eu quero muito trabalhar com várias marcas. Eu queria muito trabalhar com a Anastasia Beverly Hills, que é uma marca que eu amo, com a Fenty Beauty, que é um sonho. Essas marcas importadas. Eu quero muito me consolidar no mercado internacional, então eu ainda sonho em fazer alguma "collab" com alguma marca internacional. Mas é uma coisa distante, mas sonhar não custa nada né?

Ser mulher é?
Ser mulher é batalhar diariamente para fazer as pessoas acreditarem, e nos respeitarem. Essa coisa do machismo, as pessoas falam, "ah feminismo é uma bobagem", não é uma bobagem. Eu vivo isso diariamente, a gente tem que sempre se provar mais. Para você ter uma ideia esses dias eu fui fazer cartão de crédito, fiz junto com meu marido, eu tenho renda comprovada e meu marido não tem, ele é meu funcionário, ele ganha um salário mínimo comigo, não querendo desmerecer ele, tadinho. O cartão deu o triplo de limite para ele do nada, ai eu fiquei muito brava sabe, eu falei meu, eu que preciso de limite né? Ai eu entrei em contato com eles, porque vocês não me deram limite sendo que vocês deram para o meu marido o triplo. Aí eu e ele concluímos na hora, foi muito machismo sabe? Então machismo, essa coisa do machismo, tá presente na sociedade, só não vê quem não quer. Então a gente tem que sempre se provar mais, na minha área eu tenho sorte de que a mulher é muito respeitada na área de beleza. Que é uma área que tem tudo a ver com a gente, mas mesmo assim eu passo por alguns perrengues. Então imagina as outras mulheres. Então ser mulher é ter que se reinventar, e se desdobrar e acreditar sempre assim. Acreditar que é possível conquistar e conquistar respeito. Ser mulher é viver em uma constante busca pelo respeito, mas a gente chega lá, porque a gente é forte para caramba. Afinal de contas, somos responsáveis pela vida né? Então não é à toa que Deus, para quem não acredita em religião, que a biologia, definiu assim. Somos um ser que merece ser respeitado. Então vamos respeitar.

Quais lançamentos podemos esperar para 2018?
Em 2018 assim, eu espero que lance os iluminadores, compactos e os líquidos que é o que eu tenho de mais importante. A máscara de cílios eu acho que lança este ano ainda, não sei. Eu tenho um delineador líquido para o ano que vem, isso tudo linha Bruna Tavares, que é onde eu estou colocando minha maior força mesmo. A gente tem alguns outros projetos, tipo elixir também para pele, aquele pó que é a prova d'água também já está saindo do forno, blushes, contornos. Por enquanto isso, eu acho que vão surgir mais cores de batom no meio do caminho. A linha de gloss, gloss mesmo, gloss, gloss, aquele grudentinho, porque tem o plastic glossy, terá novas cores também. Eu acho que é isso, base por enquanto não, porque a base eu só vou fazer quando eu puder fazer muitas cores, então eu preciso já estar consolidada, eu preciso estar dentro de uma Sephora, enfim... eu não vou aceitar fazer base e ficar explicando, "ah gente não conseguimos fazer muitas cores, só seis", é um saco isso sabe? E as pessoas não entendem, as pessoas se magoam e eu tenho que ter empatia por essas pessoas. Então é isso que eu estou fazendo agora, entendeu? Vamos fazer isso junto. Então eu quero muito fazer uma coleção de trinta bases. O que eu vou fazer agora é a coleção de pós, que vai ter oito, mas o pó vai ter o translúcido e tal, então as pessoas vão conseguir se adaptar, não precisa de tantas cores eu acho mesmo, mas se precisar também paciência, a gente vai fazer. Mas o pó é um  projeto que eu queria muito fazer já por ele ser a prova d'água, muito legal essa fórmula e tudo mais... Agora a base eu quero muito poder fazer mais, como você me acompanha, você deve saber, a gente batalhou para fazer a linha de corretivos, lançamos mais cores e os lojistas não colocam. Faz mais de seis meses, então adianta eu fazer uma coleção de quinze bases e o lojista colocar seis também? Essa dependência de varejo que complica, eles são super importantes e sem eles eu não estaria onde estou. Eles que vendem meus produtos, então agradeço muito, mas existe uma alimentação que nem é culpa deles. É espaço mesmo, aí se eles colocam a minha linha de quinze bases, de vinte bases, trinta bases, tem que colocar de todo mundo. Então abre um precedente que eu entendo, que não dá, é uma coisa que a gente tem que compreender. Então por isso que eu tento ultrapassar essa barreira, e por enquanto é isso de novidade. Em Tblogs o que eu tenho de mais importante já amadurecendo é a coleção ouro rosa. E em Sereismo tem alguns lançamentos aí também, elixir, as caudas de sereia que lança este ano, que vai ser muito legal, e tudo mais. Deixa eu ver o que mais que tem, uma coisa que eu quero fazer também em linha Bruna Tavares que eu não sei quando, é uma outra linha de corretivos, corretivos com alta cobertura, talvez saia até antes da base, não sei, a base acho que vai ser a última coisa mesmo, porque eu quero testar muito essa base, eu quero que.... vai ser difícil fazer uma base.

Deixe um recado para as leitoras do blog que admiram seu trabalho.
Ah, quero agradecer vocês, primeiro você que é sempre muito querida comigo, e com meu conteúdo, sempre me apoiando, sempre divulgando os produtos, adoro suas resenhas, seus antes e depois são maravilhosos, amo a do corretivo, amo a da base, obrigada. E para as leitoras agradecer muito, vocês são meu combustível de tudo, assim, porque se eu não tivesse esse retorno de "Bruna, você tá fazendo a diferença  para mim na minha auto estima", "Bruna você está fazendo a diferença no seu produto", para mim não teria graça. Eu sou motivada por isso, para mim, eu não teria como fazer. Sempre que eu vou postar um novidade ou alguma coisa, eu penso: ai o que o meu público vai achar? Elas vão pirar? Elas não vão? É isso que é meu filtro, vocês são meu filtro e eu agradeço por isso. Eu agradeço porque a gente está construindo uma nova história juntos, na maquiagem. Eu e vocês, vocês são meu combustível, não me sinto uma pessoa forte  o suficiente para estar fazendo isso sozinha. Eu tenho consciência que eu sou uma pessoa mediana, mas que estou tendo um puta combustível de pessoas incríveis, que estão me alavancando para o que está acontecendo na minha vida. Então é um agradecimento real, oficial mesmo, muito obrigada!

Ouvi Spoiler? 



Alguns dos próximos lançamentos, quem já está ansiosa?


Querem carão? Então toma! Ah gente, o que dizer mais sobre ela? Gratidão, respeito e admiração sempre. Que pessoa mais centrada, iluminada e do bem. Vou deixar o canal do YouTube, Instagram e o blog para quem não conhece. Quando ela ler a entrevista vai pensar: minha filha, concordei em te dar uma entrevista, e não você fazer minha biografia (hahahahaha).

Espero que tenham gostado!!!
Beijos e Lambidas.
Cris e Pipa


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário